Beaujolais Villages é uma delícia

Atualizado: 14 de Mar de 2019

A região do Beaujolais e seus vinhos são alvo de preconceitos por causa de uma jogada de marketing

QUANDO AINDA era estudante de viticultura e enologia na Suíça, fui a um bistrozinho local com a turma de classe. Como estávamos estudando um método de fermentação chamado maceração carbônica, pedimos um Beaujolais.

O sommelier irritante disse: "Nossa carta é de vinhos, não de porcarias". Pois é, a linda região do Beaujolais e seus vinhos perfumados são alvo de preconceitos por causa de uma jogadinha de marketing dos anos 70 que lança o Beaujolais Nouveau na terceira quinta-feira de novembro.

De produção rápida, é a categoria mais simples da região e seu vinho mais famoso.

Mas a região é muito mais que apenas o simples "nouveau". É complexa, de solos de granitos com variações na superfície, resultando em dez "terroirs" crus distintos. A região tem como uva emblemática a gamay. E um método enológico peculiar: a citada maceração carbônica.

Resumidamente, é uma fermentação que acontece dentro da uva inteira -o normal é a fermentação ocorrer com as uvas esmagadas.

Os vinhos resultam perfumados, gulosos e equilibrados. Os vinhos dos dez crus são mais densos e complexos. Beaujolais Villages é uma categoria intermediária, nem tão simples quanto o "nouveau" nem tão complexa quanto os crus.

São vinhedos perto da região dos crus e representam um perfeito meio-termo entre a "frutosidade" dos estilos mais jovens, mas com uma estrutura um pouco mais firme e certa complexidade dos crus.

Quanto ao sommelier petulante, nós dissemos: "Porcaria é a sua carta. O beaujolais é uma delícia". E fomos embora.